domingo, 21 de novembro de 2021

Sobre a espartanização da sociedade brasileira ou sobre como o facismo neomiliciano se impõe com a militarização de escolinhas

Por Vinicioz Bórba
https://www.facebook.com/sensacinemx/videos/1098798453957196/
Cabulosa a montagem por trás do tal 300. Cinemão brabo no Croma Key. Mas tem uma outra faceta bem triste que é a consequência simbólica de certas produções. Sabemos, pra quem estudou Atenas e Esparta na escola, que Esparta era a face guerreira mais brutal da parada. Atenas, com sua deusa Mulher, ligada ao amor, as artes, e especialmente à Política, de onde deriva inclusive a expressão cunhada pela primeira vez da DEMOCRACIA, apesar de sabermos que em Atenas daquela antiga Ágora só votavam e eram votados os considerados cidadãos, ou seja, homens, guerreiros, com posses. Escravos, mulheres e etc normalmente não tinham voto.. qualquer semelhança com a atualidade é mera coincidência. Mas obviamente avançamos por demais. Porém, trago aqui a reflexão sobre a tal Esparta. Em Esparta, desde os setes anos de idade, os meninos já eram separados, inclusive do ninho da mãe. Ou se tornariam guerreiros, e só numa fase posterior se tornariam donos de terras e assim políticos, podendo alçar cardos nos conselhos da cidade e conselho ancião, para legislar. Pessoas com deficiência ou consideradas fracas eram  jogadas do penhasco de Taigeto. 

A arte e demais ciências como a filosofia era ignoradas pra que um homem não deixasse das funções militarescas e as mulheres cumprisse sua função de reprodutoras. Qual a característica que define uma sociedade completamente militarizada??? O medo.
Visivelmente, a exigência de.ordem, a padronização de pessoas, essa busca de foco na proteção e etc, podem parecer atraentes num filme de guerreiros romantizados. Mas na vida real e em pleno século 21, vermos a militarização de escolas de nossos e nossas meninas dá exatamente a visão de uma tentativa dos neofascistas de selecionar e potencializar sob uma linha específica de orientação de PMs, que com todo respeito aos companheiros, mas são muitas vezes cidadãos desumanizados em treinamentos que visivelmente lavam cabeças de forma a reduzir o filtro pra atos de violência, e chegam depois pra tratar esses meninos e meninas numa lógica altamente competitiva e agressiva, de autoritarismo, e posso apostar que não são lá escolas voltadas a processos democráticos de escolha de direção, processos artísticos, e lógicas emancipadores do ser humano. São dessa lógica de formação de "cidadãos fortes",  ou seja, altamente competitivos entre si (o capetalismo selvagem adora isso!) e valores específicos do conservadorismo que fortalece uma alienação. "A mas os meninos estão melhores..blabla". Os meninos estão com mais medo. Criou-se uma lógica repressiva pra jovens e crianças periféricas. E, naturalmente, pra muitos deles e delas criou-se um espaço de firmeza que país sozinhos trabalhando e tendo de relegar a criação de seus filhos nessa periferias para criar os filhos dos ricos lá nos centros, acabava delegando à rua esse processo de criação de seus filhos. Mas não se resolveu a questão do salário digno daqueles pais para terem o tempo com seus e suas filhas, ou dinheiro para pagarem baba ou escola melhor em integral prós e pras meninas. Não, não. Apenas criou-se uma escola que seleciona uma parte destes e destas meninas, expulsa os e as que tenham algum ímpeto de resistência ou que seja mais libertário ou inconformado com essa forma, e faz daquele grupo um pólo de irradiação de conservadorismo como o que hoje vemos, com essa potencialização do Bolsonarismo e desse neofacismo que de forma brutal tem se imposto na aceitação geral da lógica do medo, e na militarização da nossa sociedade pra venda de armas e mais violência como meio de vida.

É o que se preconiza numa sociedade guerreira como os EUA. É o que hoje se reproduz aqui com o Balanço Geral, Cidade Alerta e todos esses infernos transmitidos não pra educar a sociedade sobre como se.prroteger contra isso ou aquilo, mas pra manter uma vibração coletiva de ódio aos pobres e medo constante que justifique ações irracionais e instintivas de.muita gente, na busca de uma proteção qualquer perante o risco eminente na vida. Se você está o tempo todo com medo, digamos, num "filme de terror", você prefere um mocinho ou até um monstro como seus gestor pra lhe defender. E estamos aí, simbólicamente, com um fascista miliciano na gestão maior do país, com políticas atrasadíssimas, porque nem sequer uma política séria esse cara consegue fazer avançar. 

Tá pesado. Armamentismo, exaltação dos símbolos nacionais com ufanismo e militarismo, repressão das artes (cortando tudo quanto há de financiamentos.. pode ver) e perseguição e morte de lideranças comunitárias, indígenas, pretas periféricas e até parlamentares, como até hoje temos plena desconfiança de quem.mandou matar Marielle, mas não dá pra afirmar porque ninguém teve coragem de fazer a investigação e encerrar lá no Rio (polícia de milicianos..vai vendo).. militarização de escolas é só a cereja do bolo nesse novo projeto fascista de sociedade. Abaixo a espartanização da nossa sociedade brasileira. Fora Bolsonaro

segunda-feira, 20 de setembro de 2021

ESPETACULO GRACIAS A LA VIDA ESTREIA EM OUTUBRO NO DF

A convite do parceirão Dorival Brandão estreio em outubro o espetáculo Gracias a la vida, dividindo palco com Sheila Campos diva, texto do poeta Pedro Tierra e direção teatral de Hugo Rodas! Direção do musical é do mestre Alex Paz!
 Acompanhem, teremos as maravilhosas vozes de Chico Nogueira e Dani Machado, vai ser mágico! 

Conto com todo mundo pra curtir essa fita, espetáculo lindo e produção da querida Janaína Montalvão! 

O cancioneiro brasileiro e latino americano revisitado trazendo a consciência e luta artística de grandes como Mercedes Sosa, Athaualpa Yupanqui, Violeta Parra, Chico Buarque e tantos e tantas outras. Poesia, música e teatro em alto nível breve nos palcos. Feliz, aqui ateeee..

terça-feira, 25 de maio de 2021

AMEMOS MAIS, É O QUE RESTA, por Vinicioz Bórba

Sobre as perdas nos últimos períodos. Deixo essa reflexão a quem está nas dores da morte.
Desejo paz caso mais alguma perda (tem sido tantas.. toda semana recebo), caso mais alguma perda tenha se abatido. As pessoas passam por nossa vida, trazem alguma lição, e se encaminham na medida perfeita. Meio triste as vezes, com algum cuidado a mais até dá pra esticar essa corda, mas um dia a conta chega, e é bom vivermos cada momento como se fosse o último. Porque tudo acaba. E se recomeça, o que você pode aceitar ou não, ou mesmo se não termina nunca (podemos ficar imersos nessa condição de não materialidade, algo observado por centenas de mestres budistas e atestado por bons amigos Espíritas e tantos e tantas paranormais sérios/as na história da humanidade), saibamos sempre que agradecer e lembrar quem se foi e sua importância aqui é crucial. Não se prender a traumas e etc, esses é fazer os ritos e processos pra desbloquear e não deixar a vida parar, vencê-los pois.
 Mas seguir amando quem está na caminhada consigo. Há que cuidar para não ficar no apego interminável, que segundo observações Espíritas gera também bastante dor em quem segue. Dói, dá saudade? Dá. É buscar emitir amor, agradecimento sincero pela passagem com a gente, acalmar também quem passou e pode estar em desespero.
 Quem fica segue precisando de você em sua firmeza, chorar o que tem de chorar (lutos chegam a durar dois anos pelo menos, segundo psicólogos. São processos naturais em mortes e fins de relação), mas se esforçar pra não vibrar no medo e nem no apego, não prender a pessoa desencarnada nisso. Toda emoção boa de carinho que emitimos pra lá é linda, acalma e auxilia no refazer dos processos. 
A sutileza da dimensão em que essas pessoas podem estar não os permite quase contato por aqui. Mas vibrar luz pra eles e elas, por nós que sim estamos ainda encarnados, é de muita força energética, segundo o que apontaram alguns estudos meus e observações. Segundo alguns estudos do budismo e até revelações de Budas (sim houve vários, e todos temos essa condição de iluminação possível), com nossa existência atingimos 7 gerações pra trás, e até 10 pra frente. Vai de quem crê, e como vi numa peça sobre Jung certa vez e muito me marcou, "Seguem ateus e cristãos, todos/as em dúvidas"... Pra cada pessoa uma forma de sentir a espiritualidade de sua jeito. 
Cuidemos pois pra dar bons exemplos de vida feliz, com entrega, equilibrando o racional e emocional, buscando a ética e reconhecendo e perdoando erros, os nossos e dos outros/as, porque está tudo na conta (conheçam Hoponopono. É libertador. Simples e certeiro). Mesmo os que agridem e até fazem coisas piores, como temos visto tanto no Brasil, nas durezas que praticam, podem estar ali encontrando a luz (sempre que um grande mal se abate, proporcionalmente advém a luz, é a lei Hermética do equilíbrio, da Polaridade, vai rolar). 
Portanto, olhemos para o porvir. Há sempre esperança. Mesmo nos piores cenários. Amemos mais. É o que resta. 
Vinicioz Bórba

segunda-feira, 10 de maio de 2021

Mestras indígenas: María Sabina - Povo Mazateca

Conselho de María Sabina, uma curandeira e poeta mexicana.
′′ Cure-se com a luz do sol e os raios da lua. Ao som do rio e da cascata. Com o balanço do mar e o bajulamento dos pássaros. Cure-se com menta, neem e eucalipto. Adoce com lavanda, alecrim e camomila. Abrace-se com o feijão de cacau e uma pitada de canela. Coloque amor no chá em vez de açúcar e beba olhando para as estrelas. Cure-se com os beijos que o vento te dá e os abraços da chuva. Fique forte com os pés descalços no chão e com tudo que vem dele. Seja cada dia mais inteligente ouvindo sua intuição, olhando o mundo com a testa. Pule, dance, cante, para que você viva mais feliz. Cure-se a si mesmo, com amor bonito, e lembre-se sempre... você é o remédio."

sábado, 1 de maio de 2021

PORQUE BOLSONARO NÃO COMPRA A VACINA SPUTNIK

A trupe dos epidemiologistas e cientistas com PhD em tudo que é canto, os verificados do twitter, tá forte na defesa da Anvisa. A agência que interrompeu teste da CoronaVac por causa de um suicídio, que atrasou seu registro até não dar mais, que libera agrotóxico proibido no mundo todo, de repente tornou-se a maior referência de credibilidade, agência ilibada acima do bem e do mal.

Não acho que é o caso de dizer com certeza que a Anvisa mente. Como bem disse um camarada, é possível que uma decisão seja política/ideológica mesmo que embasada em argumentos técnicos e científicos. Ciência não justifica, p.ex., que a visita à Rússia só tenha acontecido depois que o STF estipulou prazo para que a agência respondesse os pedidos de governadores que há meses aguardavam sua resposta, enquanto o Ministério da Saúde atrasa e diminui as expectativas de entregas de vacinas mês a mês em meio à gestão genocida do governo federal. A Anvisa estava trabalhando pelo interesse público neste atraso? Parece prevaricação pura e simples.

A geopolítica das vacinas já não é segredo pra ninguém. Ao menos a luz amarela deveria estar acesa sobre a Anvisa e a Sputnik quando relatórios oficiais dos EUA disseram que o governo estadunidense pressionou com sucesso o governo do Brasil para não comprarem a vacina russa. Outra informação interessante é que no próprio site da Anvisa consta que a vacina da Pfizer, ponta de lança dos EUA, foi aprovada sem 25% dos documentos pedidos, "superados por análise Benefícios x Riscos". Isso em fevereiro. Até hoje não temos nem uma única dose dessa vacina no país.

A representante da Sputnik, em nota oficial, rebateu vários pontos do parecer técnico da Anvisa. No twitter, convidou a agência para um "debate público" no Congresso. Uma situação inédita. É no mínimo curioso que a resposta tenha sido tão dura. De duas, uma: ou a Anvisa comprou uma briga da qual sairá como uma das agências regulatórias mais respeitadas do mundo por desmascarar um lobby criminoso que já exporta para 62 países uma vacina insegura, ou o governo Bolsonaro jogou no lixo a credibilidade de nossa agência.

Aqueles que juram que a ciência está acima da política, que acham que 'não se deve politizar a pandemia', que 'ser a favor da ciência' basta, pra manter a coerência, vão precisar defender a Anvisa. Inclusive põem em dúvida a Sputnik desde que foi anunciada, em agosto do ano passado. As opiniões sobre essa vacina são eivadas de xenofobia desde que Putin, esse maluco alucinado e assassino, informou que a Rússia, com mais de século de tradição em defesa biológica, tinha aprovado a primeira vacina contra a covid.

Novamente reforço, me reservo a posição de não decidir agora se a Anvisa mente ou não. Hoje, mais 3 mil pessoas morreram no genocídio de Bolsonaro e a minha preocupação primeira é com vacinas que possam salvar vidas. Que os PhD mergulhem de cabeça no que acreditam, não há novidade alguma. Espero que aqueles que sabem até onde vai ideologia e política - a todo lugar - ao menos mantenham-se céticos em momento histórico tão delicado. Aguardem os próximos movimentos. Algo não cheira bem.

Gustavo Figueiredo

quinta-feira, 29 de abril de 2021

POLÍTICA X POLÍTICA PARTIDÁRIA: NÓIS POR NÓIS



O parceiro e rapper de um dos mais considerados grupos da cena do rap DF, Japão, foi questionado sobre a intenção eleitoral de suas doações de cestas básicas. O que acho disso? Vejamos.
Brasília tem essa história de uma galera não poder ver alguém fazer qualquer corre legítimo que tá zoiando se a pessoa tem intuito político eleitoral.
Toda ação é política. Toda omissão também é política. Mas não especificamente politica-partidária.

E ainda que fosse, era também muito legítima porque enquanto a favela não se elege com seus representantes de favela mesmo, elege um monte de patrão e pastor da pior espécie pro pobre e pra classe tabalhadora. Então, espero que a  gente entenda que ainda que fosse um corre com algum objetivo de aglutinação de forças, era legítimo.

Mas pelo próprio perfil contestador de Japão Marcos Vinicios Morais é uma obviedade que não é. A gente sabe mais ou menos no rap quem são as figura que gostam mais da politica partidária.

E acho, sinceramente, que se constrói mandato popular, isso também é importante. Enquanto a favela não chega lá, com a memória histórica de onde vem, sabendo de suas próprias feridas, perdemos de ganhar a pluralidade que precisávamos nos poderes.

Estudos demonstram que quando tem diversidade de histórias, de trajetórias das pessoas no serviço público, nos atendimentos de governo mesmo, o atendimento é sempre melhor. E mandatos são serviços de ponte entre a sociedade, as comunidades e o governo.

Bora entender e toma posse do que é nosso nessa porra, estudando pra não se deixar sujar, mas caindo pra entro também. Por que os bota e os boy tão em todas. Porque pastor com discurso de patrão também tão tudo lá. E noiz? Não estamos tendo voz. E esse também é um caminho.

#periferia #representatividade #politica #partido #politicapartidaria #comunidade #rap #japão #viela17 #doações #doação #covid #covid19 #noispornois #lutadeclasses

quarta-feira, 28 de abril de 2021

O RISCO DE REPETIR A HISTÓRIA COMO FARSA


Segundo historiadores entre 20 e 1929 houve uma explosão de euforia ardente, música fulgurante, hedonismo, empreendedorismo brabo e etc.. e daí em 1929, pelo descuido e excesso, capetalisno selvagem, quebrou a bolsa de valores dos EUA e levou o planeta pro buraco. 
E o que adveio disso? O Fascismo, o nazismo frutificaram.. outros tempos?? Vejamos... Mas há que observar as predições de matérias como essas.. 
Isso não está na matéria, pesquisa básica nossa, mas astrólogos já pontuam, anotem ai porque todos que eu acompanhava disseram que 2020 o bicho pegava! E pegou feio! 

Astrólogos experientes pontuam que 2027 temos repeteco do caos. Algo mais vem por aí. Como ensina a ciência, sigo o princípio da precaução. E observando projeções como dessa reportagem do El País, que tem disparates como afirmar que o capital "estaria atento e consciente" aos prejuízos da crise ambiental, sabemos que essa gente não é uma central tão coordenada e até que decidam mesmo agir, podem mesmo é estar calculando quanto combustível vão economizar nos navios atravessando o mundo sem ter de dar a volta na Antártida. 

Então, não nos iludamos porque haverá menos fronteiras, teletrabalho, e blabla. Tendência é de recrudecer fascismos e precisarmos defender o mais básico ainda mais. Nos armemos de boas práticas de fé e Autocuidado para superar essa fase dura, sejamos explícitos e resistentes até encontrar justiça como foi a negritude norte-americana no caso George Floyd e vamos constituir uma frente de gente coerente a tal ponto de não haver espaço pra serpente se criar, venha do ovo que vier. 

Democracia não se negocia. Mas chamar esse capitalismo liberal descontrolado e selvagem de "democrático"?? Comprando mesmo eleições e destruindo países por sua hegemonia e luxo? Não, não. E com alguma tristeza mas sem ilusões, escrevo isso ainda em pleno Facebook. Atentemos pois. 

Vinicioz Bórba,
Poeta, jornalista e utópico das galáxias